O ato de lamber as patas não é um problema, já o excesso de lambeduras sim. É comum ver os pets lambendo as patinhas delicadamente com os olhinhos até fechados, uma gracinha. Nem sempre! Os tutores devem ficar atentos ao excesso de lambidas nas patinhas, pois se estiver passando dos limites é hora de intervir.

Essa obstinação em se lamber pode levar à enfermidade que precisarão de cuidados especiais tendo em vista que tudo que passa dos limites não é bom. Acompanhe a seguir as possíveis causas e o que fazer a respeito.

Com qual frequência é normal lamber a pata?

Essa é a pergunta ideal a se fazer: qual a frequência? O ato de se lamber por si só não é indicação de problema. Os pets lambem as patinhas em sinal de ociosidade, por estarem sem nenhuma atividade interessante e até mesmo quando sentem a falta de interagir com o tutor que de repente mudou de horário no trabalho e interferiu no tempo em que passavam juntos.

O hábito de se lamber começa a ser problemático de acordo com a intercorrência entre as lambidas, porém os tutores têm dificuldade em notar o excesso lambeduras, pois exige uma observação criteriosa e nem sempre o tutor está com o pet então isso quase nunca acontece sendo notados os excessos somente quando já têm alterações aparentes como feridas, por exemplo.

O que pode ocasionar lambedura excessiva nas patas?

A causa é idiopática, ou seja, não se sabe o que leva o animal ao ato compulsivo de se lamber, mas sabe-se que está relacionado à ansiedade, estresse e até mesmo à solidão. Animais que passam muito tempo sozinhos desenvolvem lambeduras excessivas mais frequentemente. O emocional do animal pode estar diretamente ligado aos excessos de lambidas, porém não é o único motivo a ser considerado.

Outras causas são alergias, dermatites por fungos, bactérias e poeira, reação a presença de pulgas e carrapatos, repulsa alimentar e algumas outras variações que devem ser avaliadas por um médico-veterinário. As lambidas podem significar também que o pet está sentindo dor em algum local do corpo. Observe o local onde ele se lambe excessivamente e mencione ao veterinário.

Quando devo me preocupar?

Sempre que houver excessos é preciso ficar atento, a coceira abundante tem grande potencial de acarretar lesões, inflamações e a propagação de fungos na pele do pet. É fundamental buscar ajuda de um veterinário para reter o hábito de lamber-se.

Devemos levar em conta que as patas de cães e gatos estão sempre em contato direto com o chão, com urina, fezes e tudo quanto mais se pode imaginar. Quando a patinha está lesionada pelo excesso de lambeduras, e o pet entra em contato com bactérias e fungos, através das pisadas que são provenientes desses itens descritos anteriormente, é possível que o local infeccione. Sem contar que as lambidas podem ocasionar além de dermatites pelo excesso de saliva do próprio pet outros problemas de saúde secundários como secreções, queda dos pelos, edemas e etc.

Em determinados casos, as lambidas chegam a evoluir para mordidas, nesses quadros as lesões já estão bem avançadas desencadeando coceiras tão insistentes que o pet precisa dos dentes para ajudar a coçar a fim de amenizar o descontentamento que a coceira causa.

Prováveis tratamentos

Como já dito anteriormente, os motivos para lambedura em excesso são muito variados e o tratamento só deve ser iniciado após identificada a causa, a raiz do problema. O tratamento para parar de lamber as patas provavelmente terá um receituário, que incluirá o uso de antibióticos, antifúngicos, anti-inflamatórios e mudança de costumes.

É bem provável que o médico-veterinário solicite o uso de cone/colar elizabetano para evitar que o pet continue coçando excessivamente durante o tratamento, o que pode ser muito prejudicial tanto para o pet quanto para o resultado esperado. Botinhas também podem ser indicadas com a mesma finalidade. As lesões na pele precisam ser restauradas para que a enfermidade não evolua, em alguns casos suplementos naturais podem ajudar bastante.

É possível evitar e Como?

Tudo que cães e gatos fazem em excesso, lamber, coçar, morder, pode estar diretamente ligado ao psicológico do pet como o estresse, o tédio, a carência de atenção e etc. Em todos os casos a prevenção começa na mudança da rotina. Pratique exercícios físicos com o pet nem que seja uma leve caminhada, brinque com ele, interaja, demonstre seu carinho e demande atenção à ele.

Estarem sozinhos por muito tempo deixam os animais tristes e abalados psicologicamente desencadeando uma série de enfermidades que podem ser evitadas com afeto. Animais, em especial cães e gatos, são sociáveis, eles precisam de interação.

Caso esteja observando uma lambedura excessiva em seu pet não deixe de levá-lo até o veterinário de confiança, nunca tente improvisar um tratamento caseiro, pois além de não obter resultado o quadro pode se agravar.

Veja também:

Meu cachorro está com coceira, até que ponto é normal?

Leave a comment