Se você tem um pet em casa, seja cachorro ou gato, já deve ter ouvido falar da abominável DOENÇA DO CARRAPATO, não é?

E é importante você saber que os casos tendem a aumentar no verão, devido à elevação das temperaturas e a umidade, uma combinação que colabora com a proliferação dos carrapatos, o vetor da enfermidade.

Bom, para você que chegou até aqui, vamos explicar tudo sobre a doença do Carrapato. Esta patologia é uma infecção grave causada por bactérias, erliquiose, ou protozoários, a babesiose, que atacam o sangue do cachorro e pode levar à morte.

Os gatos raramente pegam essa doença, mas eles não estão imunes, já que existem casos de bichanos contaminados.

Conhecendo a doença – Qual a diferença dos sintomas entre erliquiose e babesiose?

É importante ressaltar que ambas doenças podem matar o seu cão, por isso é importante sempre ficar atento(a) a qualquer mudança de comportamento do seu animalzinho.

Vamos lá entender os dois tipos das doenças mais comuns!

Primeiro vamos falar da Erliquiose, ela é uma das principais doenças infectocontagiosas que acometem os cães no verão, a Erlichia canis, que se trata de uma bactéria transmitida por meio da picada do carrapato afetando diretamente as células sanguíneas do seu amiguinho.

Isso tudo acontece quando um carrapato marrom (Rhipicephalus sanguineus) contaminado, principal vetor da doença, pica o cachorro, é aí que a bactéria ataca o sistema de defesa do cachorro, os conhecidos glóbulos brancos.

Em pouco tempo, as plaquetas do sistema de defesa do cão são destruídas, e são as plaquetas do sangue, que são as responsáveis pela coagulação, que a bactéria ataca, ela é tão feroz que impede o organismo contaminado de fabricar mais delas. É assim que o cão adoece, ficando fraco e começa a perder peso muito rápido.

Agora você vai conhecer um pouco sobre a Babesiose (ou Piroplasmose), mais um tipo de doença do carrapato que chega de forma silenciosa. Essa doença também é transmitida através da picada do carrapato marrom, entretanto em vez de bactéria, ela é causada por um protozoário, o cruel Babesia canis.

Ao contrário da Erliquiose, o protozoário infecta e destrói os glóbulos vermelhos, causando uma anemia profunda em poucos dias.

Reforçando o aviso, ambas doenças são fatais se não forem tratadas, por isso fique sempre em alerta com a saúde de seu cão.

Sintomas – Como saber se meu cão está com a doença do Carrapato?

Primeiramente é bom ressaltar que, a visita a um veterinário de sua confiança é fundamental para salvar seu cãozinho. Um exame de sangue é fundamental para o diagnóstico.

Se você encontrou um carrapato em seu cão, mesmo que não saiba identificar a espécie do parasita, fique em alerta, pois o diagnóstico precoce é primordial para salvar a vida do seu amiguinho.

Um dos primeiros sintomas de qualquer doença do carrapato é a perda de apetite (anorexia), pode ocorrer vômitos e diarreia, febre e fraqueza (prostração).

A doença do carrapato possui três fases:

  • A primeira fase é a aguda: com sintomas comuns a uma infecção, os sintomas que já falamos acima.
  • A segunda fase a subclínica: essa fase já não apresenta sintomas e pode durar até mesmo anos após a picada do carrapato.
  • A terceira é a fase crônica: com sintomas parecidos com os da fase aguda, mas começam a se agravar.

É importante saber exatamente quando seu cão começou com os sintomas para saber em que fase está a doença, para começar quanto antes o tratamento correto, um tema que vamos aprofundar no próximo assunto.

Tratamento – Meu cão foi diagnosticado com a doença do carrapato, o que fazer?

Muitos tutores se desesperam quando escutam do veterinário que o cão está com a doença do carrapato, mas é preciso manter a calma para cuidar do seu cãozinho.

O tratamento vai ser feito para combater a bactéria ou protozoário, se não for possível identificar qual dos dois contaminou o animal, será preciso fazer ambos tratamentos.

Pode ser indicado vários remédios como o Imizol para babésia, ou Doxiclina para ehrlichia, mas só um veterinário vai poder indicar o melhor tratamento para seu amiguinho.

Além desses medicamentos, é preciso fazer uma  suplementação polivitamínica, pois o cão estará muito fraco.

Existem alguns casos que, após terminar com o antibiótico, começa a ser feito um tratamento com corticoide e timomodulina, mas isso SOMENTE o veterinário de sua confiança vai poder te falar sobre a necessidade.

É preciso seguir corretamente o tratamento, com muita atenção para ele ter sucesso.

Causas – Porque meu cão pegou a doença do carrapato?

A causa é bem simples de entender, não é mesmo? Seu cão foi passear no parque, foi passear na rua da sua casa ou até mesmo no quintal e algum carrapato marrom contaminado e folgado resolveu se alimentar do sangue do seu amiguinho. Pronto!

Já será o suficiente, pois quando a saliva do carrapato entra na corrente sanguínea do seu cão, ele já está contaminado.

Então é uma fatalidade que, mesmo você tomando os cuidados que vamos te informar a seguir, seu cão não estará 100% seguro.

Prevenção – Como evitar que meu pet se contamine com a doença do carrapato?

Como dissemos no começo, o verão é uma época terrível para proliferação de carrapatos, por isso é preciso redobrar a atenção nesse período.

Então não vou poder passear com meu cão?

Pode e deve devido a outros fatores como estresse e aumento da expectativa de vida do seu cão, porém você vai passear com ele tomando os devidos cuidados.

Hoje em dia existem remédios, shampoos e coleiras  antiparasitas que pode evitar que esses insetos minúsculos que são os carrapatos de chegarem perto do seu cão. Entretanto, é importante ressaltar que, se o seu cão está com o remédio em dia e mesmo assim for picado por um carrapato, ele pode pegar a doença.

Os antiparasitários ajudam no combate do aumento dessa praga no ambiente, mas não deixam o cão imune à doença.

Enfim, para evitar a contaminação do seu amigo canino, evite ir em lugares que você sabe que teve caso da doença do carrapato recentemente, dê banhos semanais no seu cão, se ele for peludo prefira tosar na época do verão e fique sempre atento se tem algum carrapato na pele dele.

A doença do carrapato é cruel, judia do animal e também de seus tutores, mas ela tem cura, e uma atitude sua pode salvar seu amigo fiel, afinal ele merece todo cuidado do mundo, não é mesmo?

Leave a comment