Dicas importantes que vão te ajudar nessa fase de adaptação.

Se você está pensando em adotar um pet filhote, seja um cãozinho ou gatinho, ou para quem já tem um pet bebê, saiba que alguns cuidados vão tornar esse momento ainda mais especial. É natural ficar com dúvidas e até insegurança, afinal sua rotina vai mudar um pouco, então separamos algumas dicas essenciais, acompanhem a seguir.

Quais os cuidados?

Na hora de adotar um pet filhote a primeira coisa a ser considerada é o tempo de vida do peludo, o ideal é esperar o desmame do filhote, pois através da amamentação eles se fortalecem e recebem anticorpos ideais para saúde e bem-estar deles. Por volta de 2 meses de vida é o tempo indicado a se esperar, nesse primeiro momento eles vão conviver com a mãe e irmãozinhos sendo considerado ideal pelos médicos-veterinários.

Nessa fase eles estão passando por crescimento e desenvolvimento rapidamente e cada espécie tem suas particularidades, por isso é ideal estar preparado e tomar atitudes corretas para garantir a segurança, saúde e bem-estar dos bebês peludinhos que receberemos em nossas vidas.

Os primeiros cuidados devem ser preparados antes da chegada dos pets e está diretamente relacionado à segurança deles. Retire objetos pequenos do alcance deles, pois eles podem engolir facilmente, coloque telas de proteção nas janelas e sacadas. Móveis pontiagudos, pregos e parafusos que fiquem na parte baixa das paredes devem ser retirados ou tapados, assim como fios elétricos. Analise se suas plantas não são tóxicas aos animais, pois eles adoram brincar entre elas e podem vir a mastigá-las.

Agende a primeira visita ao veterinário para vermifugação e início do calendário de vacinas, isso é de suma importância e não pode ser deixado para depois. As primeiras doses de vermífugos devem se iniciar aos 15, 30 e 45 dias, portanto você deverá manter o acompanhamento nesse estágio com o bebê pet ainda na companhia da mãe, ele não estará sob sua tutoria, mas precisará desse auxílio.

A vacinação de cães filhotes se inicia entre 45 a 60 dias de vida.

Já a de gatos se inicia a partir de 60 dias.

Quanto à higienização, quais cuidados e se pode dar banho?

Inicialmente a higienização dos pets filhotes deve ser feita em casa, pois antes de estarem vacinados não devem frequentar pet shops para segurança deles próprios. Caso o tutor veja a necessidade de banhá-los, faça isso com água morna, proteja os ouvidos com algodão e seque-os muito bem, podendo ser com secador de cabelo mantendo uma distância segura para não queimar o peludinho.

A higienização bucal pode ser iniciada também de maneira leve, cuidadosa e com a escovinha indicada pelo veterinário, somente essa, não use outro tipo.

A escovação dos pelos também deve começar cedo para ajudar no desenvolvimento da pelagem garantindo que fique limpa e desembaraçada, o que também ajuda a prevenir lesões na pele.

Em gatinhos é ainda mais importante a escovação, pois isso diminuirá a quantidade de pelos que eles engolem ao fazer a auto higienização que é uma prática própria dos felinos.
Já os banhos nos gatinhos não é ideal, consulte o veterinário.

Qual a alimentação ideal para os filhotes?

Nessa fase os filhotes precisam se alimentar com uma dieta específica que vem de encontro com as necessidades dessa fase. Cada fase terá sua dieta distinta.
Nos primeiros meses os pets necessitam de nutrientes e vitaminas que fortalecem o desenvolvimento dos ossos, músculos, dentes etcs.

Os alimentos precisam garantir a energização adequada e também a proteção quanto a doenças hepáticas, renais e controlar o peso de acordo com a idade. As rações devem ser de qualidade, indicada para espécie e raça, e oferecida na quantidade receitada pelo médico-veterinário, nem mais nem menos, o ideal.

Pode passear com os pets filhotes?

Não, nem passear, nem deixá-los em contato com outros animais até que estejam totalmente vacinados devem permanecer em reclusão para segurança deles próprios. O seu veterinário de confiança vai orientar sobre o passo a passo, o que pode ou não de acordo com o avanço na vacinação e a saúde do seu bebê pet. Atente-se em estar fazendo exatamente o que ele recomenda, garantindo o bem-estar, a saúde e longevidade do seu pet.

Se por acaso o bebê pet for filhote de uma cadela e/ou cão seu, o ideal é mantê-los também sem acesso à rua e outros cães porque, embora já vacinados e sem risco, podem levar vírus e bactérias até os filhotes vulneráveis.

Até que idade, meu pet é considerado filhote?

Os gatos são considerados filhotes até 1 ano de vida. Durante os 12 primeiros meses eles são bebês, após isso já são considerados animais adultos, porém pode levar um tempo maior até mudarem os hábitos considerados de filhotes como as travessuras típicas felinas.

Caso pretenda castrar seu gatinho(a) essa é a idade ideal para realizar o procedimento. Quanto ao crescimento dos gatos, alguns crescem até os 12 meses, são os gatos considerados de pequeno porte como o Singapura, já outros crescem até mais de 1 ano de vida, esses considerados gatos maiores como o Maine Coon que podem crescer até 2 anos de vida.

Com os cães é um pouco diferente a relação entre filhote e adulto, essa diferenciação se dá pela raça, há algumas particularidades, não sendo regras, que são levadas em conta:

Raças pequenas/miniaturas – exemplo Yorkshire, entre 9 meses a 1 ano.
Raças médias – exemplo Boxer, em média um ano.
Raças grandes e gigantes – exemplo São Bernardo, podem levar até 2 anos para serem considerados cães adultos.

A castração em cadelas o ideal é a partir do sexto mês, não recomendado antes disso. Já em cães machos entre o sexto e sétimo mês de vida.

Os cuidados com os animais de estimação vão variar conforme a idade de cada um, podendo variar também de raça para raça. Por isso é tão importante manter as consultas com o médico-veterinário sempre em dia, pois é através dessas consultas/check-up que o tutor será instruído a mudança de hábitos, alimentação e demais cuidados que os pets necessitam.

Veja também: Como cuidar de cães e gatos idosos

Leave a comment